Investigação

Estamos a investigar a próxima geração de medicamentos e vacinas

O Dr. Hal Barron, Chief Scientific Officer e R&D President, tem sido fundamental na liderança da nossa inovação científica desde que se juntou à GSK, em Janeiro de 2018.

A nossa investigação em Medicamentos foca-se em ciência relacionada com o sistema imunitário, com a genética humana e com a aplicação de tecnologias avançadas tais como a genómica funcional, a inteligência artificial e machine learning.

Esta nova abordagem vai acelerar o ritmo a que investigamos, desenvolvemos e disponibilizamos medicamentos transformadores, dando prioridade a moléculas com maior probabilidade de sucesso e pondo termo a programas de investigação menos promissores. Vai também permitir um maior enfoque em medicamentos de áreas especializadas, como a Oncologia.

Na área de Vacinas, os nossos esforços concentram-se na descoberta e desenvolvimento de vacinas profiláticas e terapêuticas que ajudem a proteger as pessoas contra doenças infecciosas. Cada doença tem as suas características específicas e desenvolver uma vacina que ajude no combate a qualquer doença específica requer, por isso, uma abordagem única.

Investimos na excelência técnica e científica para desenvolver e lançar novas vacinas inovadoras, que dêem resposta às necessidades dos doentes e dos pagadores. Introduzimos, recentemente, uma vacina inovadora para a Zona e a primeira vacina universal contra a meningite B.

Complementamos o nosso enfoque neste pipeline robusto com uma gestão ativa do ciclo de vida das vacinas de que dispomos atualmente, procurando assim proteger mais pessoas através de alargamento da indicações terapêuticas e de novas geografias.

Já desenvolvemos vacinas contra 21 das 31 doenças atualmente preveníveis por vacinação, ajudando assim a proteger as pessoas em todas as fases da sua vida. Estamos a investir nas nossas tecnologias adjuvantes, concebidas para melhorar a resposta imunitária às vacinas. Isto é especialmente importante para as pessoas que tendem a responder menos eficazmente à vacinação, como por exemplo pessoas imunocomprometidas e população idosa.